O que Acontece

Publicada retificação 2 do Anexo I - Quadro de vagas e temas da Seleção 2017.1

Publicada Retificação 2 do ANEXO I - Seleção 2017.1
http://www.ppglinc.letras.ufba.br/sites/ppglinc.letras.ufba.br/files/Ret...

RETIFICAÇÃO 2 DO MANUAL DE SELEÇÃO 2017.1

Publicada RETIFICAÇÃO 2 do Manual de Seleção 2017.1
http://www.ppglinc.letras.ufba.br/sites/ppglinc.letras.ufba.br/files/RET...

Matrícula 2016.2: atendimento presencial

Os alunos que NÃO SOLICITARAM a inscrição em componentes curriculares através da WEB ou que tiverem a solicitação de matrícula negada pelo sistema WEB DEVEM COMPARECER À SECRETARIA DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO DE LETRAS DA UFBA NO PERÍODO COMPREENDIDO ENTRE OS DIAS 16/11/2016 E 17/11/2016, DAS 09H ÀS 12H OU DAS 14H ÀS 16H, para realizarem suas matrículas em componentes curriculares do PPGLinC.

Publicadas retificações dos Anexos I e III da Seleção 2017.1: Confira em MANUAIS

Seleção para aluno regular 2017.1

Publicado o Manual de Seleção 2017.1 e seus anexos. Consulte em SELEÇÃO/MANUAIS.
 

Palestra: Caracterização Sintática e Semântica da Estrutura Progressiva: do Latim ao Português Medieval

Palestrante: Prof. Dr. Paulo Osório da Universidade Beira Interior

(Portugal)

Data do evento: 14/11/2016 (segunda-feira)

Horário: das 15 às 17hs

Local: Sala de defesa da Pós

Certificados para os ouvintes.  Entrada franca.

 

RESUMO: 

A estrutura progressiva em formas do tipo Estou a falar/Estou falando é, no Português Europeu (PE) contemporâneo, fundamentalmente construída com Estar+a+Infinitivo. Todavia, nomeadamente na região alentejana de Portugal, utiliza-se Estar+gerúndio. No Português do Brasil (PB), utiliza-se preferencialmente Estar+Gerúndio. Assim, esta intervenção pretende analisar a evolução diacrónica da estrutura progressiva desde o latim até ao final do português medieval (inícios do século XVI), tentando-se defender que a estrutura maioritariamente utilizada no PE atual provém do latim. Analisaremos algumas ocorrências nos textos medievais, recorrendo-se a corpora digitalizados do Português Medieval.  Refletiremos, igualmente, acerca do funcionamento sintático-semântico desta estrutura, comparando-a a outras línguas românicas (castelhano, francês, entre outras).

 

Páginas